Delivery fronteiriço funcionará ainda este mês. Reabertura da ponte está em análise

H2FOZ – Cláudio Dalla Benetta

Ainda antes do final deste mês, estará em vigor a modalidade de comércio eletrônico nas cidades paraguaias que fazem fronteira com o Brasil, garantiu o vice-ministro de Relações Econômicas e Integração do Paraguai, Didier Olmedo.

Segundo o jornal Última Hora, ele disse que só faltam alguns detalhes do protocolo sanitário para ajustar com os municípios brasileiros.

Em julho, autoridades brasileiras e paraguaias concordaram com a reativação do comércio fronteiriço e em avançar na discussão dos instrumentos necessários para dar solução à crítica situação na região, mas ainda há muita controvérsia entre integrantes do governo paraguaio.

Mas Olmedo garantiu que, no caso de Ciudad del Este, já há locais mais ou menos definidos para atender ao comércio eletrônico. Curiosamente – e esta é uma das reviravoltas nessa novela da fronteira -, no início se cogitava incluir Ciudad del Este-Foz no delivery fronteiriço, depois a ideia foi abandonada e agora volta como se nada tivesse sido dito.

Há também propostas para operar em Salto del Guairá e Pedro Juan Caballero, onde houve uma experiência de alguns dias.

Barreira na fronteira seca de Pedro Juan Caballero com Ponta Porã.

Segundo o vice-ministro, tudo o que se refere a temas aduaneiros, migratórios e cobertura legal já está definido. “Só falta um pouco de ajuste no protocolo sanitário”, afirmou.

Ao longo da próxima semana, segundo Olmedo, tudo estará resolvido, para que se comece a operar comercialmente sob esta modalidade ainda este mês.

O sistema habilita depósitos específicos na zona primária das cidades paraguaias de fronteira para que os compradores brasileiros possam retirar os produtos, mas só vale para as compras por meio eletrônico. Com isso, o Paraguai evita a entrada de brasileiros e que tenham maior contato com os fornecedores.

O presidente Mario Abdo Benítez, em reiteradas ocasiões, lembra o Última Hora, referiu-se à ameaça que o Brasil representa para o Paraguai, já que é o segundo do mundo em número de casos e mortes por covid-19.

E a Ponte da Amizade, como fica?

Apesar de todo o temor do governo paraguaio, o diretor de Vigilância da Saúde, Guillermo Sequera, deu esperanças sobre a sonhada reabertura da Ponte da Amizade.

Segundo o correspondente do jornal Última Hora, Wilson Ferreira, isso se dará “nas próximas semanas”. Isto é, não há nenhuma data prevista num horizonte mais próximo, mas ao menos o setor de Saúde paraguaio já admite a reabertura.

“Estamos analisando a apertura da fronteira com restrições, monitoramento e cotas de 1.200 a 1.500 pessoas, que entrariam em grupos”, disse Guillermo Sequera.

Ele disse que poderá ser feito um circuito para os compradores brasileiros na zona do microcentro (de Ciudad del Este), com um controle para que o movimento se restrinja àquela área.

“Eu creio que podemos ir pensando nisso para as próximas semanas”, disse Guillermo Sequera, que é epidemiologista e foi quem sugeriu ao governo paraguaio as medidas duras de controle do novo coronavírus.

Sequera, no entanto, já advertiu que a população de Ciudad del Este deve seguir todos os protocolos para que não aumentem ainda mais os casos de covid-19. “É preciso frear o vírus nas ruas”, disse.

Epicentro

Um problema a mais para desestimular a reabertura da fronteira de Ciudad del Este é que o município é hoje o epicentro da pandemia de covid-19 no Paraguai.

Na verdade, o departamento inteiro, do qual Ciudad del Este é a capital, está em situação crítica, na avaliação do Ministério de Saúde Pública.

Por isso mesmo, o ministro Julio Mazzoleni disse que irá pedir ao presidente Mario Abdo Benítez que estenda por mais uma semana a quarentena restrita no departamento, que terminaria neste domingo, 16.

Ele explicou que sua recomendação é “em virtude da situação epidemiológica atual.., (em) que temos mais do que o dobro do aumento de casos em relação às taxas anteriores”.

Para estender a quarentena, o presidente terá que assinar um decreto ainda neste domingo.

Mazzoleni informou na sexta-feira que vai pedir prorrogação da quarentena em Alto Paraná. Foto Ministerio de Salud

O ministro inaugurou na sexta-feira, 14, um laboratório biomolecular em Ciudad del Este. Com isso, já não será preciso os testes para análise em Assunção, o que vai acelerar a entrega dos resultados.

Segundo Mazzoleni, o Paraguai já fez 140 mil testes de detecção do vírus, e com isso tornou-se o segundo país com maior testagem na América do Sul, em relação ao número de casos de covid-19.

O ministro também entregou 10 respiradores para leitos leitos adicionais de UTI no Hospital Integrado de Ciudad del Este. Agora, o hospital conta com 58 unidades de Terapia Intensiva.

O Hospital Regional, por sua vez, vai contar com pavilhão de contingência, o que garantirá mais 60 leitos.

Casamento da filha de Cartes

O jornal ABC Color também mencionou a fala de Julio Mazzoleni sobre a extensão da quarentena zero em Alto Paraná, mas questionou o ministro também sobre a festança programada pelo ex-presidente Horacio Cartes para este sábado, 15.

É que a filha do ex-presidente, Sol, vai se casar com o empresário Patrick Bendlin, e o que já se sabe é que virão muitos convidados ilustres para a festa.

A caçula da família Cartes, Sol, com o noivo, Patrick. Foto Epa

Mazzoleni não quis comentar se houve algum protocolo especial para permitir o festejo, mas o Conselho Nacional de Defesa Civil emitiu um comunicado oficial, sem citar algo específico, mas obviamente referindo-se à festa dos Cartes, como diz o ABC Color.

No comunicado, o Conselho de Defesa Nacional informa quais são as normas para eventos, onde se destacam dois pontos: a distância mínima de 2 metros entre as pessoas e o número máximo de participantes, que não pode passar de 20.

Os convidados foram “convidados” a fazer teste para covid-19. Só entra quem der negativo.

Mas o casamento não será em Ciudad del Este, onde vigora a quarentena zero, mas na cidade de Altos, departamento de Cordilheira, que está na fase 4 da quarentena inteligente. A cerimônia religiosa será na Catedral de Assunção, e a capital está na fase 3.

O jornal La Nación ouviu a promotora de eventos Jessi Miralles, encarregada de organizar a cerimônia e a festa de casamento.

Ela contou que, na catedral de Assunção, serão admitidos 20 convidados, como prevê a quarenten, e que em Altos será feita uma rotatividade dos convidados por horários, para permitir a desinfecção completa de toda superfície, incluindo talheres e utensírios, mobiliários e decoração.

Além disso, os convidados guardarão distanciamento e receberão, ao chegar à festa, um kit de higiene pessoal.

 

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.