Polícia do Paraguai usará armas apreendidas na Operação Dakovo

Valor do arsenal apreendido em uma das empresas investigadas é superior a US$ 5,2 milhões (cerca de R$ 26 milhões).

Apoie! Siga-nos no Google News

O ministro paraguaio do Interior, Enrique Riera, solicitou ao Judiciário do país que as 1.823 armas de fogo apreendidas durante a Operação Dakovo, avaliadas em mais de US$ 5,2 milhões (cerca de R$ 26 milhões), sejam incorporadas ao patrimônio da Polícia Nacional do Paraguai.

Leia também:
Operação Dakovo: general e coronel são presos no Paraguai
Operação Dakovo prende quatro suspeitos em Ciudad del Este

A operação, desencadeada no início de dezembro no Paraguai, no Brasil e nos Estados Unidos, teve como alvo um esquema de importação de armas e munições operado por uma empresa com sede em Assunção, cujos clientes finais eram organizações criminosas que atuam em território brasileiro.

No depósito da empresa, pertencente a um empresário argentino, os policiais encontraram 611 armas longas, de diversos calibres, e 1.212 pistolas. Foram feitas apreensões, também, em Ciudad del Este e outras cidades do país.

De acordo com o jornal Última Hora, a solicitação de repasse das armas à Polícia Nacional foi analisada e autorizada pela juíza da área de combate ao crime organizado Lici Sánchez. A notícia foi comemorada pelo ministro Riera.

“Às 8h30 desta sexta (29), estaremos recebendo todas as armas da Operação Dakovo, para armar a polícia com as mesmas armas que os criminosos usam para nos enfrentar”, celebrou. “Essa é uma mensagem muito importante para a população, de que vamos usar as armas com as quais eles queriam nos agredir, para que possamos nos defender.”

O empresário argentino proprietário da importadora de armas segue foragido, juntamente com a esposa, uma ex-modelo apontada como responsável pela parte burocrática do negócio. As investigações tiveram início no Brasil, quando uma das armas importadas com exclusividade pela companhia foi apreendida com criminosos no estado da Bahia.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.