Friozinho veio pra ficar? Confira. E veja imagens de Foz na manhã desta quinta, 13

O que Foz do Iguaçu tem a ver com o frio? Tudo e nada! ‘Tudo” porque também temos dias frios e alguns invernos são até rigorosos. Já houve até temperaturas abaixo de zero, em priscas eras. E “nada” porque ninguém, em sã consciência, guarda de Foz lembranças de casacos e cobertores grossos, mas sim de suadeira, ar condicionado no máximo e sol de torrar.

É que há bem menos dias frios do que de calor, nesta terra. O frio espanta, assusta e incomoda porque quem vive acima de 30 graus por meses e meses sente-se um estranho congelado no ninho, quando a temperatura fica abaixo de 15 graus, como nesta quinta-feira, 13.

Claro que não dá pra dizer: “acostume-se”. Mas dá pra aconselhar: deixe à mão um agasalho extra e prepare seu leito com carinho. O friozinho de hoje deve ficar aqui por um bom tempo. Frio seco, porque quanto a chuvas, neca de pitibiriba (já foi “traduzida” esta expressão por aqui, mas não custa lembrar: neca vem do latim e significa não; pitibiriba é invenção brasileira e quer dizer nada ou coisa alguma. Então, é uma dupla negação).

Agora, veja o que dizem nossos meteorologistas, baseados em equipamentos potentes, em registros dos satélites que conferem do espaço as correntes de ar, a formação de nuvens, os deslocamentos de frentes quentes e outras variáveis do tempo.

Simepar: máxima na sexta-feira (amanhã, dia 14), 23 graus; mínima de 14. Sábado e domingo com mínimas de 13 e 14 graus e máximas de 24 e 26 graus, respectivamente. Frio segue pela semana seguinte, quando podem ocorrer temperaturas ainda mais baixas.

AccuWeather: máxima de 22, mínima de 15 graus na sexta. No sábado, 15 de mínima e 24 graus de máxima; domingo, variação entre 14 e 25 graus.

Climatempo: máxima nesta sexta, 22 graus; mínima de 12. Frio prossegue no fim de semana, com mínima de 12 graus no sábado (máxima de 26) e de 13 graus no domingo (máxima de 26). E vai semana afora o friozinho.

CPTEC/Inpe: pra sexta-feira, prevê mínima de 13 e máxima de 25 graus. No sábado, 14 e 26 graus, que é também a previsão para o domingo. A exemplo dos demais, também aposta numa sequência de dias frios, com temperaturas mínimas ainda mais baixas ao longo da semana que vem.

Inmet: máxima de 26 graus nesta sexta; mínima de 15 graus. Embora as mínimas para o final de semana estejam em linha com os demais serviços, as máximas do Inmet são sempre pontos fora da curva: 29 graus no sábado (mínima de 14) e 30 graus (!) no domingo (mínima de 15). A previsão do Inmet só vai até segunda, com mínima de 15 e máxima de 30 graus.

COERÊNCIA

Fazer a previsão do tempo não deve ser fácil, porque há sempre grandes distorções entre o que cada serviço anuncia. Mas, pelo menos hoje, está tudo mais ou menos coerente para os próximos dias.

Tirando as máximas do Inmet (embora isso ainda precise ser constatado), nenhum dos outros quatro aponta mais de 26 graus para o final e o início da semana.

Até domingo, também não há temperaturas mínimas inferiores a 12 graus. Mas atenção! Há mínimas previstas de 8 graus para a semana que vem. Voltaremos ao assunto às vésperas de isso ocorrer.

Quanto a chuvas, esqueça. Dos que fazem previsão estendida, apenas o AccuWeather prevê chuva na sexta-feira da semana que vem, dia 21. E seriam “aguaceiros intensos”, na previsão feita em português de Portugal (os portugueses também dizem “soalheiro” para dia “ensolarado”, o que até parece outra língua).

IMAGENS DO FRIO

Uma coisa é certa. O frio, em Foz, traduz-se em imagens interessantes tanto do ambiente quanto das pessoas, que se protegem dele como podem e como querem.

O fotógrafo Marcos Labanca percorreu a cidade e trouxe dezenas de fotos bonitas e interessantes. Selecionamos para você algumas delas, que dão uma boa ideia de como o frio muda a rotina de todos.

Importante: Marcos Labanca não se responsabiliza pelas legendas das fotos.

Nesta hora, essa iguaçuense, se conheceu a estação-tubo que trouxeram a Foz uma certa época, deve ter pensado que faria muito bem ter aquela proteção hoje. A estação-tubo, usada nos Ligeirinhos de Curitiba, não “pegou” por um simples motivo: o calorzão de Foz, obviamente.
Parece o “fog” de Londres, mas é apenas a típica cerração, muito comum no inverno. A neblina, nesta quinta, foi intensa.
Castigo duplo: frio e longa espera por ônibus, numa cidade onde o transporte coletivo ainda não é solução, só problema. Mas a imagem, embora tenha algo de terror, é bonita.
Nos tempos em que os vampiros agiam na Transilvânia, terra do Drácula, essas eram suas manhãs preferidas. Mas aqui não tem disso, só uma paisagem outonal ingênua.
O que te passa pela cabeça ao ver a imagem dessas flores? Coisas singelas, esperamos.
A discreta elegância de nossas meninas, no frio, que também gera isso: uma boa combinação de cores e de peças que valoriza o figurino e a menina.
Andar de bike é se livrar do apertamento nos ônibus, evita gasto com combustíveis, faz bem pra saúde, etc, etc. Mas no frio não é mole.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.