Chico Brasileiro volta atrás e não passa cargo ao vice para ir à China

Prefeito pediu que seja desconsiderado o ofício, após ter sido lido na Câmara de Vereadores, o qual transferia a gestão a Francisco Sampaio.

Apoie! Siga-nos no Google News

O prefeito Chico Brasileiro (PSD) voltou atrás e não mais pretende transferir o cargo ao vice, enquanto viaja para a China, entre 30 de novembro e 5 de dezembro. Ele participará do Fórum Liangzhu, a convite do governo do país asiático.

LEIA TAMBÉM: Chico Brasileiro viaja à China e passa cargo ao vice

Em novo ofício, Chico Brasileiro solicitou que seja desconsiderado o documento lido na Câmara de Vereadores, sexta-feira, 24, em sessão, procedimento exigido pela Lei Orgânica do Município. Nele, era informado que o vice-prefeito, Francisco Sampaio (União Brasil), assumiria a prefeitura no período.

Na missiva recente ao Legislativo, o prefeito pede a desconsideração da anterior, “relativamente à transmissão do cargo ao vice-prefeito, a qual não mais ocorrerá”, expõe. E justifica que o tempo de ausência para a viagem à China será inferior ao prazo em que a transmissão da governança é obrigatória.



No comunicado à Câmara de Vereadores, Chico Brasileiro afirma que o fórum no qual tomará parte na China “reunirá funcionários, peritos e profissionais da cultura de todo o mundo”. Será “para partilharem ideias sobre o desenvolvimento civilizacional, bem como o diálogo e a aprendizagem mútua de culturas, entre outros temas de profundo significado, completa.

Ao H2FOZ, a assessoria do prefeito disse que Foz do Iguaçu foi a única cidade da América Latina convidada a integrar a Federação Internacional de Turismo da República Popular da China. Quanto às despesas, informou que serão arcadas pelos anfitriões do evento.

Essas idas e vindas correspondem a mais um capítulo em torno do rompimento político entre o prefeito e seu vice. Em busca da reeleição, Chico Brasileiro deu um “chega-pra-lá” no antigo vice, Nilton Bobato (PT), escolhendo Francisco Sampaio para a função, de olho no eleitor de espectro ideológico à direita.

Não tardou o rompimento, em 2021, envolvendo a priorização das primeiras vacinas contra a covid-19, o que veio a público no começo do ano seguinte, quando o vice-prefeito questionou a eficácia do passaporte vacinal obrigatório. E piorou com as eleições logo em seguida.

Francisco Sampaio concorreu a deputado estadual ano passado. Sua decisão contrariou as alianças pretendidas pelo grupo político da prefeitura, que buscava ter a primeira-dama e então secretária de Saúde, Rosa Maria Jeronymo, como a única postulante desse campo à Assembleia Legislativa.

Viagens anteriores

Anteriormente, o prefeito Chico Brasileiro fez viagens internacionais institucionais para os Emirados Árabes, Colômbia e Portugal. Nessa última viagem, ao território português, não houve transferência de cargo.

No balanço de sua incursão a Dubai, em 2021, o prefeito informou que, junto com o governador do estado, pleiteou aos diretores da Emirates Airlines, empresa aérea que opera em mais de 65 países, a inclusão de Foz do Iguaçu como destino das rotas da companhia.

“Obrigado governador e equipe Invest Paraná pela grande ajuda para transformar Foz num grande hub aéreo”, comemorou Chico Brasileiro, na época, por meio da Agência Municipal de Notícias (AMN). A rota ainda não foi efetivada.

Já em relação à agenda na Colômbia, em março deste ano, o prefeito disse fortalecer a estratégia de internacionalização da cidade. “Segundo o prefeito, a aproximação com a ACI Medellín será benéfica para o desenvolvimento de projetos que irão impulsionar Foz do Iguaçu como um local propício a receber investimentos inovadores, projetos de desenvolvimento urbano, ambiental e turístico”, escreveu a AMN.

Em maio, Chico Brasileiro Brasileiro participou do Paraná Day Portugal, em Lisboa. O evento, argumentou, ao informar a viagem, é “voltado para os órgãos representativos do setor de turismo”, incluindo “agendas com órgãos internacionais para expansão e promoção do turismo no município.”

Primeiro ofício do prefeito para Câmara

Imagem: Reprodução/CMFI


Novo documento desfazendo tranferência de cargo

Imagem: Reprodução/CMFI