Solidariedade: “vaquinhas” virtuais ajudam famílias de crianças atingidas por laje

Conhecidos e desconhecidos se mobilizam para arrecadar recursos para custear o tratamento das vítimas do acidente ocorrido no domingo (14).

Apoie! Siga-nos no Google News

Desde sábado (13), quando uma estrutura desabou e atingiu duas crianças que brincavam em uma piscina plástica no bairro Parque da Lagoa, em Foz do Iguaçu, um grupo de pessoas se mobilizou para criar “vaquinhas” virtuais a fim de ajudar as famílias a custear os tratamentos médicos das vítimas.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a menina de 4 anos teve as duas pernas amputadas, enquanto o menino de 8 anos sofreu traumatismo craniano. Ambos, que são vizinhos, estão internados na unidade de terapia intensiva (UTI) pediátrica do Hospital Ministro Costa Cavalcanti. Ambos respiram com a assistência de aparelhos, conforme informações do hospital.

Até as 16h desta terça-feira (16), as “vaquinhas” avançavam bem em direção às metas. Para a menina, mais de R$ 59 mil dos R$ 60 mil (85%) já foram arrecadados, assim como quase R$ 22 mil dos R$ 30 mil (73%) solicitados para o caso do menino.

Para contribuir, os endereços são os seguintes:

https://ajudaja.com.br/campanha/?x=76061; e
https://ajudaja.com.br/campanha/?x=76062.

Obra irregular

Após uma fiscalização do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (CREA-PR), foi confirmado que a construção da casa, realizada há cerca de três anos, não contou com um responsável técnico. Com essa constatação, a responsabilidade pelo acidente deve ser atribuída ao proprietário do imóvel, segundo a autarquia.

O CREA-PR ainda ressalta que qualquer tipo de obra ou reforma em imóveis deve ser acompanhado por profissional habilitado, para a elaboração dos projetos, execução adequada dos serviços e prevenção de acidentes.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.

<