Visitação do Eco Park em Foz do Iguaçu aumenta 50% em janeiro

Local conta a relação do ser humano com os animais; fazendinha, cavalo crioulo e voo das aves de rapina estão entre as atrações.

Apoie! Siga-nos no Google News

O Foz Eco Park comemora o aumento de 50% no número de pessoas interessadas em conhecer o trabalho que conta a relação do ser humano com os outros animais. O crescimento ocorreu em janeiro, comparado com o mesmo mês no ano passado.

LEIA TAMBÉM: Morador acompanhado de visitante curte o Eco Park de graça

A família Salomone veio de Assunção, no Paraguai, para conhecer Foz do Iguaçu e o trabalho do Eco Park. “Viemos com a família toda. Gostamos muito desta conexão com a natureza e os animais. As crianças estão adorando, e nós, adultos, também”, disse Nícolas.

O visitante José Luiz Bernal também aproveitou as férias para conectar-se com a natureza. “Esse lugar é incrível para tirar os pequenos dos apartamentos e das telas. Aqui, eles podem correr, brincar, andar descalço pela grama e, ainda, conhecer os hábitos dos animais”, narrou.



Com 5 anos, Lia amou poder alimentar os coelhos no Eco Park em Foz do Iguaçu. Sua mãe, Lara Amani, disse que ao assistir à apresentação dos cavalos relembrou momentos da infância. “Minha família cria cavalos. Cresci perto deles. No Eco Park revivi boas memórias”, rememorou.

Eco Park

A gestão da unidade enfatiza o crescimento do público, o que aumenta ainda mais o compromisso da equipe de ser referência. O parque também exerce a responsabilidade social e ambiental, com parte da renda dos ingressos destinada ao patrocínio do Projeto Onças do Iguaçu.

Esse comprometimento inclui “cuidado com os animais e incentivo dos seus hábitos naturais”, frisou o coordenador institucional do Eco Park, Igor Morais. E “realizar pesquisas e educar os visitantes sobre a importância da conservação ambiental”, enumerou, destacando a importância dos feedbacks que o visitante reporta.

O apoio do parque ao Onças do Iguaçu visa a contribuir para as ações de conservação do maior felino das Américas. O projeto também estimula a boa convivência dos moradores do entorno do Parque Nacional do Iguaçu com as onças, animais-símbolo da biodiversidade brasileira.

Passeio na natureza

A visita no Eco Park não é apenas um passeio, mas uma imersão na história da humanidade. Mais de 200 animais vivem no espaço. A primeira parada é a fazendinha, onde adultos e crianças conhecem e participam do processo de domesticação dos animais como os coelhos, lhamas, avestruzes, porquinhos-da-índia e minicabras.

No ambiente Imersão das Aves, ocorre o contato com várias delas, a maioria resgatada do tráfico de animais silvestres e maus-tratos. Depois, o visitante assiste à apresentação do cavalo crioulo e ao voo das aves de rapina: às 10h e às 15h30.

A apresentação do cavalo faz um passeio pela história da América do Sul e da fronteira por meio das origens da raça crioula. Já o voo é um momento de educação e aprendizado sobre a proteção e readaptação das aves de rapina acolhidas.

Na apresentação das aves de rapina, é possível observar o voo delas em busca de alimento e saber a origem da arte do condicionamento de rapinantes. O visitante também conhece a sua importância histórica no desenvolvimento da sociedade e conservação das espécies.

É fácil chegar

O Eco Park em Foz do Iguaçu fica na Rua Cruz Alta, 111, perto de onde ficam os atrativos do Dreams, como o Museu de Cera e o Vale dos Dinossauros. Funciona diariamente das 9h às 17h. Mais informações: www.dreamsecopark.com.br.
Moradores da cidade pagam R$ 15. Se estiverem acompanhados de um turista pagante, a entrada é de graça para os iguaçuenses. Crianças menores de 6 anos são isentas.

(Com informações do Eco Park)

LEIA TAMBÉM