Revoltados com alagamentos, moradores fecham avenida no Porto Meira

Manifestação reuniu moradores na região do Porto Meira - Foto: Divulgação

Forte chuva promoveu o caos em vários pontos da cidade nesta quarta-feira, 23.

Moradores da Ocupação do Bubas e dos jardins Morenitas e Veraneio protestaram por causa dos transtornos provocados pelos alagamentos na manhã desta quarta-feira, 23. A comunidade fechou parcialmente uma das principais vias do Porto Meira, a Avenida Morenitas.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Inicialmente, as duas pistas foram fechadas, mas uma delas foi rapidamente liberada para o trânsito de ida e vinda de carros e ônibus. No protesto, mulheres com crianças relataram que suas casas foram todas afetadas pela forte chuva, estragando vários móveis.

Segundo os moradores, os alagamentos são constantes e conhecidos pelo poder público. Dessa vez, a situação foi mais grave devido a obras da Perimetral Leste, por conta de um aterramento, elevando o nível da água principalmente na área próxima ao Jardim Veraneio.

“Não tem ninguém para ver a situação dos moradores e muito menos para ajudá-los”, cobrou a presidente da Associação de Moradores do Bubas, Maria Batista. “Município, olhe por essa população. Deixamos o nosso pedido por atenção”, reiterou.

Segundo a líder comunitária, diversas casas ficaram alagadas, com crianças e até mesmo cadeirantes tendo de enfrentar os alagamentos. Ela lembrou a necessidade de regularização do Bubas e investimentos para melhorar as condições de vida da comunidade.

“Cobramos regularização para ter casa digna para todos”, enfatizou Maria. “Nossas autoridades têm de olhar para esse povo que está aqui hoje, protestando debaixo de chuva por seus direitos, para poder ter moradia digna”, reivindicou a presidente da associação comunitária.

Caos na cidade

A reportagem recebeu vídeos do caos registrado por moradores em diversas regiões de Foz do Iguaçu. A Avenida JK, como acontece a cada chuva forte, mais uma vez ficou alagada. Centros de educação infantil, a exemplo do Victório Basso e Amor-Perfeito, também foram impactados.

Nota da prefeitura

A Prefeitura de Foz do Iguaçu fez circular nota afirmando que a Defesa Civil atua para minimizar transtornos ocasionados pela chuva. “Nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira (23), choveu quase todo o esperado para o mês de março”, informou a Agência Municipal de Notícias (AMN).

Leia também: Defesa Civil de Foz alerta: alagamentos podem se agravar

A administração citou dados do Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais). Esses indicadores dão conta de que “foi registrado um acumulado de 120mm de chuva, quase todo o esperado para o mês de março, que historicamente registra uma média de 134mm”.

Por meio da AMN, o secretário de Obras, Cézar Furlan, disse que o excesso de chuva dificulta o escoamento da água, por isso as equipes também atuam na desobstrução e limpeza de bueiros. “Em dias como hoje, uma boca de lobo pequena não suporta a enxurrada de água, mas logo que a chuva acalma não há mais alagamento”, declarou.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.