Tudo vermelho! Até quando os rios do Paraná vão aguentar esta seca?

Rio Girau, em Dois Vizinhos, está com vazão de 60%. Foto: Sanepar

Não chove. E os rios vão baixando, baixando… De 80 pontos de medição, só 4 estão normais.

Sabe quanto choveu em sete dias na bacia hidrográfica do Baixo Iguaçu, que abrange os rios que cortam desde Francisco Beltrão até Foz do Iguaçu, numa distância de 283 km? Nada. Zero!

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Na semana anterior, houve chuviscos aqui e ali, mas nada significativos para a melhoria do nível dos rios, que cada vez baixam mais.

Não é por acaso que três municípios do Sudoeste do Estado estão em situação crítica no abastecimento de água: Dois Vizinhos, Três Barras do Paraná e Matelândia.

A Sanepar já alertu a população para economizar água. Bada de lavar carros, calçadas e fachadas, até que a situação se normalize. E reutilizar a água sempre que possível. Reduzir o tempo de banho é necessário, bem como ensaboar a louça, fazer a barba e escovar os dentes com a torneira fechada.

Tudo a ver. O mapa da situação hidrológica dos rios paranaenses mostra que praticamente todos estão com níveis bem abaixo do normal.

Das 80 estações telemétricas (que medem o nível dos rios), só quatro estão assinaladas em verde, o que significa que naquele ponto o nível do rio está normal ou acima. Tudo vermelho para as outras.

O mapa das estações telemétricas diz tudo: quatro pontos em verde, o resto tudo vermelho.

BAIXO IGUAÇU

Entre o Sudoeste e o Oeste, a bacia do Baixo Iguaçu é um vermelho total. O Rio Chopim, na estação telemétrica de Porto Palmeirinha, em Coronel Vivida, está na cota 13 metros acima do nível do mar; a cota média (ou normal) é de 78 metros.

O Rio Santana, também pertencente à bacia do Baixo Iguaçu, em Itapejara d´Oeste, está em 409 metros – a média é 481m.

Vindo para mais perto de Foz, o Rio Iguaçu, na estação telemétrica de Porto Capanema, no município de Capanema, está longe da cota média, de 287 metros. Na quinta-feira, última medição, estava em 161 metros.

Na estação do Hotel Cataratas, no Parque Nacional do Iguaçu, o Rio Iguaçu estava na cota 89 metros, quando a média é de 167 metros acima do nível do mar.

RIO PARANÁ

A situação da bacia do Paraná 3 não é diferente. Em Guaíra, o nível do Rio Paraná baixou para a cota 85 metros acima do nível do mar, ante os 137 metros da cota média.

Mais aqui perto, na estação UHE Itaipu, o Rio São Francisco Falso, afluente do Paraná, está com o nível baixíssimo: 7 metros ante 84 metros da cota média.

Na Ponte da Amizade, de acordo com a Divisão de Hidrologia de Itaipu, o Rio Paraná está, neste sábado, entre 12 e quase 13 metros abaixo da cota normal.

QUATRO EXCEÇÕES

Isso se repete em quase todos os rios paranaenses. As quatro exceções são o Rio Pirapó, em Maringá; o Rio Jaguariaíva, em Sengés; o Rio Ponta Grossa, em Cerro Azul; e o Rio Cachoeira, em Antonina, no Litoral.

As informações sobre a situação dos rios paranaenses constam no site Hidroinfoparana e são divulgadas todas as quintas-feiras pelo Instituto Água e Terra.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.