Gasolina fica 12 centavos mais cara a partir desta terça; 5º aumento neste ano

Diesel e gás de cozinha também sofrem aumento; reajustes são no preço às distribuidoras.

O preço dos combustíveis e do gás de cozinha ficarão mais caros a partir desta terça-feira, 2, nas refinarias. Gasolina e diesel sofrerão aumento de aproximadamente 5%, conforme comunicado da Petrobras.

Leita também:

Gasolina tem 4º reajuste no ano e ficará R$ 0,23 mais cara nas refinarias

A gasolina subirá pela quinta vez neste ano, e será o quarto acréscimo aplicado ao diesel em 2021. A Petrobras reproduziu a nota emitida a cada aumento, afirmando que os valores nas refinarias são diferentes dos que recaem ao consumidor final.

Os combustíveis terão os seguintes preços às distribuidoras:

– gasolina: aumento de R$ 0,12, passando de R$ 2,48 para R$ 2,60 por litro; e

– diesel: aumento de R$ 0,13, passando de R$ 2,58 para R$ 2,71 por litro.

Já o aumento do gás de cozinha será de R$ 3,05 por quilo, acréscimo de R$ 0,15. O botijão de 13 quilos será vendido nas refinarias a R$ 36,69, R$ 1,95 mais caro, a partir de amanhã.

A empresa de combustível informou que os preços estão atrelados ao valor dos produtos no mercado internacional e na taxa de câmbio. “Importante ressaltar também que os valores praticados nas refinarias são diferentes dos percebidos pelo consumidor final no varejo”, afirmou a Petrobras.

“Até chegar ao consumidor são acrescidos tributos federais e estaduais, custos para aquisição e mistura obrigatória de biocombustíveis pelas distribuidoras, no caso da gasolina e do diesel, além dos custos e margens das companhias distribuidoras e dos revendedores de combustíveis”, completou.

Caminhoneiros e segmentos ligados aos transportes no país aguardam a suspensão da cobrança sobre o preço do diesel, anunciada pelo governo federal, por dois meses. Essa medida foi programada para entrar em vigor neste dia 1º de março.

Frente aos aumentos dos combustíveis no país, Sindicombustível do Paraná mantém uma campanha em que expõe ao consumidor a composição dos preços. A entidade afirma que “a maior parte do valor pago pelo litro do combustível é consumida por impostos, estaduais e federais”.

Com a campanha chamada “A culpa não é dos postos”, o sindicato dos postos de combustíveis aponta que o preço da gasolina no estado tem a seguinte composição (*):

– impostos federais e estatuais: 45,52%;

– refinarias da Petrobras: 32,67%;

– etanol adicionado: 12,55%; e

– postos e distribuidoras: 9,26% (custos operacionais e margem de lucro).

* Com base no preço médio da gasolina, a partir de pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), referente a março de 2019.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.