Reginaldo Vicente e Karin Schossler, dos colégios Agrícola e Gustavo Dobrandino, no programa Marco Zero - Foto: Carlos Sossa

Eleição de diretores acontece em escolas estaduais de Foz nesta sexta

Educadores reforçam a importância de participação da comunidade para a votação ser válida; colégios com chapa única precisam de número mínimo de eleitores.

Estudantes, educadores, pais e mães de alunos de pelo menos 12 colégios da rede estadual de ensino em Foz do Iguaçu irão às urnas para eleger direções de escolas, nesta sexta-feira, 23, das 8h às 21h. Cada comunidade deverá observar se a votação da sua instituição será de forma presencial ou on-line.

O principal desafio das escolas é obter o número mínimo de votantes, já que o processo foi instituído pela Secretaria de Estado da Educação (Seed) em plena pandemia. Cada voto é indispensável, afirmam Karin Schossler e Reginaldo Vicente, dirigentes dos colégios Gustavo Dobrandino da Silva e Agrícola, entrevistados no programa Marco Zero, do H2FOZ e da Rádio Clube FM.

Assista à entrevista:

Karin e Reginaldo explicaram como está ocorrendo a mobilização conjunta dos colégios localizados na Região Sul da cidade para estimular a participação na votação. Para que a consulta seja válida, é necessária a participação de 35% dos eleitores nas escolas que apresentem chapa única e 40% nos estabelecimentos com uma ou mais chapas.

Os colégios Gustavo Dobrandino e Agrícola terão eleição presencial para diretores, ambos com chapa única, formadas por consenso. Poderão participar do pleito professores e funcionários das instituições de ensino, alunos com no mínimo 16 anos completos, e os responsáveis (pai, mãe ou outro), perante a escola, pelo aluno menor de 16 anos.

Atual diretora do Gustavo Dobrandino, Karin Schossler enfatiza que votar para diretor contribui para defender a gestão democrática. “É importante manter um sistema democrático dentro da escola, que começa na eleição de diretor. Fortalece as direções e a escola se empodera, tanto a escola na comunidade como a comunidade na escola”, expõe.

Diretor pedagógico do Colégio Agrícola, Reginaldo Vicente enfatiza a importância de gestões que conheçam a realidade da instituição. “A continuidade do trabalho, a presença de professores que conhecem a realidade das escolas, suas características e histórico, equipes que sabem quem são os pais e os alunos, tudo isso passa pela eleição de diretores”, frisa.

No Colégio Gustavo Dobrandino da Silva, a chapa única é formada por: diretor, Douglas Facchinello, e diretora auxiliar, Karin Schossler; no Colégio Agrícola, a única chapa é composta por: diretor-geral, Rogério Brekailo; diretor pedagógico, Reginaldo Vicente; e diretor auxiliar de campo, John Keller.

Eleição

Dos 29 colégios da rede estadual em Foz do Iguaçu, dez – mais de um terço – não elegem diretores por meio da comunidade escolar por serem da Polícia Militar do Paraná, cívico-militares ou integrais. Sete estabelecimentos de ensino obtiveram o quórum mínimo nas eleições para diretores realizadas no começo de julho. Terão eleição novamente, nesta sexta-feira, para obter o número mínimo de eleitores, os colégios:

Agrícola

Almirante Tamandaré

Almiro Sartori

Arnaldo Busatto

Barão do Rio Branco

Flávio Warken

Gustavo Dobrandino da Silva

JK

Paulo Freire

Santa Rita

Três Fronteiras

Ulysses Guimarães

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Paulo Bogler - H2FOZ tem 1169 posts e contando. Ver todos os posts de Paulo Bogler - H2FOZ