Chegada do primeiro e agora único lote da Sinopharm, em março. Imagem: Gentileza / Ministério da Saúde.

Intermediária de vacina chinesa rescinde contrato com o Paraguai

A empresa G42, subsidiária do laboratório chinês Sinopharm nos Emirados Árabes Unidos, rescindiu de forma unilateral o contrato firmado com o governo do Paraguai para o fornecimento de um milhão de doses de vacinas contra a covid-19. Do total contratado, apenas 250 mil foram entregues. O valor integral da transação era de US$ 30 milhões.

De acordo com o Ministério da Saúde Pública e Bem-Estar Social, em comunicado difundido no sábado (31), o Paraguai pagou US$ 7,5 milhões pela primeira entrega. O restante deveria ser desembolsado em quatro parcelas de US$ 5,6 milhões, que não serão efetuadas. As razões para o pedido de rescisão não foram detalhadas.

Apesar do inconveniente, o ministério afirma contar com estoque suficiente para imunizar os que receberam a primeira dose da Hayat Vax, a vacina da Sinopharm. A aplicação será feita na quinta (5) e na sexta (6), em diferentes locais do país.

Comunicado oficial difundido pelo governo paraguaio no sábado (31).

Sputnik V

Em declarações à imprensa, o ministro Julio Borba informou que se reuniu com representantes do Fundo Russo de Investimento, responsável pela distribuição da vacina Sputnik V, a respeito dos temores de atraso na entrega da segunda dose, produzida com tecnologia diferente da primeira.

Segundo Borba, um lote com 40 mil unidades do Componente 2 está previsto para chegar ainda na primeira quinzena do mês, para início de utilização a partir do dia 18. Até o momento, cerca de 300 mil doses do Componente 1 da Sputnik foram aplicadas no Paraguai, principalmente em profissionais da área da saúde.

Calendário

A atual semana será dedicada à segunda dose no Paraguai, com interrupção do cronograma da dose inicial. Quem recebeu a vacina da Pfizer deve procurar o mesmo local de vacinação entre hoje (2) e quarta-feira (4). Na quinta e na sexta, será a vez das vacinas da Moderna, Sinopharm e AstraZeneca (Covaxin).

No caso da Pfizer, o intervalo adotado no Paraguai é o que consta na bula, 21 dias. O uso do produto em questão foi acelerado após o recebimento de duas doações feitas pelo governo dos Estados Unidos, com um milhão de doses cada.

Ciudad del Este

Em Ciudad del Este e região, a aplicação da primeira dose, interrompida na última quarta-feira (25) devido ao término dos estoques, deve ser retomada apenas na semana que vem. Pessoas com 20 anos ou mais, portadoras de documento de identidade com final 8 ou 9, ainda não conseguiram ter acesso ao imunizante.

Para a segunda dose, é preciso procurar o mesmo local da primeira, levando documento de identidade e cartão de vacinação. No Parque Linear da Área 1, o atendimento será 24 horas até quarta-feira. No Polideportivo (Ginásio) Municipal, das 7h à meia-noite. Na 3ª Divisão de Infantaria (km 8), das 7h às 15h.

Boletim

Nas últimas 24 horas, o Paraguai teve 310 casos positivos e 61 mortes atribuídas ao novo coronavírus. No acumulado, o país contabiliza 452.698 infecções, com 15.042 falecimentos e 16.605 pessoas em fase ativa. O departamento do Alto Paraná, cuja capital é Ciudad del Este, soma 26.372 casos, com 1.551 vidas perdidas e 1.221 moradores ainda com sintomas ou em etapa de transmissão.

Já quanto à vacinação, dados atualizados até a metade da semana passada dão conta de que 2,1 milhões de doses foram aplicadas na população local. O total de moradores completamente imunizados, contudo, ainda é baixo: 287 mil, o que equivale a apenas 4,1% dos habitantes do país.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Guilherme Wojciechowski - H2FOZ

Guilherme Wojciechowski é repórter colaborador do H2FOZ. E-mail: [email protected] - Veja mais mais conteúdo do autor.

Guilherme Wojciechowski - H2FOZ tem 121 posts e contando. Ver todos os posts de Guilherme Wojciechowski - H2FOZ