Exército reforça Operação Ágata na região de Foz do Iguaçu

Contingente de militares foi ampliado de 400 para 500; forças de Brasil e Paraguai discutem mecanismos de cooperação.

Apoie! Siga-nos no Google News

Iniciada no mês de novembro, a Operação Ágata Fronteira Oeste II, coordenada pelo Exército Brasileiro, ganhou reforço na região de Foz do Iguaçu, na última quarta-feira (7), com a chegada de cem militares da 5.ª Divisão de Exército.

Leia também:
PF auxilia na investigação de roubo milionário a cambistas no Paraguai

O novo contingente representa um incremento de 25% em relação ao efetivo anterior de 400 militares. Os controles ocorrem em locais como a Ponte Internacional da Amizade, em apoio a corporações como a Receita Federal do Brasil (RFB) e a Polícia Federal (PF).

Cães auxiliam nas buscas por entorpecentes e substâncias ilícitas. Foto: Gentileza/5.ª Divisão de Exército
Cães auxiliam nas buscas por entorpecentes e substâncias ilícitas. Foto: Gentileza/5.ª Divisão de Exército

“Vamos ter uma presença permanente aqui na fronteira, com efetivo muito significativo e interoperabilidade com os órgãos de segurança pública que é um dos nossos objetivos”, afirmou o comandante da 5.ª Divisão, general José Ricardo Vendramin Nunes, citado pela assessoria do Exército.

A Operação Ágata Fronteira Oeste II tem como objetivo coibir os crimes transfronteiriços, como o tráfico de drogas, armas e contrabando.

Na fronteira entre Foz do Iguaçu e o Paraguai, os militares atuam com o apoio de cães farejadores, além de lanchas, radares e drones para o monitoramento do Rio Paraná e do lago de Itaipu.

Conforme o balanço, “já foram apreendidos mais de R$ 115 milhões em drogas, cigarros contrabandeados, veículos e mercadorias. Entre o material apreendido estão 16 toneladas de maconha, uma tonelada de pasta-base e 600 quilos de cocaína”.

Cooperação binacional

Militares do Brasil e do Paraguai estão participando, na fronteira entre Foz do Iguaçu e Ciudad del Este, de uma série de atividades para aprimorar os trabalhos de cooperação entre as forças dos dois países, visando o combate ao crime internacional.

Para marcar a cooperação, discutida de forma direta pela 15.ª Brigada de Infantaria Mecanizada e pela 3.ª Divisão de Infantaria do Exército do Paraguai, brasileiros e paraguaios tiraram uma foto na Ponte da Integração, que ainda não foi aberta ao trânsito.

Foto na Ponte da Integração simboliza a cooperação bilateral. Foto: Gentileza/15.ª Brigada de Infantaria Mecanizada
Foto na Ponte da Integração simboliza a cooperação bilateral. Foto: Gentileza/15.ª Brigada de Infantaria Mecanizada

A Operação Ágata Fronteira Oeste II deverá se estender até o mês de maio, ocorrendo em paralelo à Operação Basalto, desenvolvida por instituições militares e de segurança do Paraguai no território que engloba até o limite com Porto Murtinho (MS).