H2FOZ | Notícias | Foz do Iguaçu
  1. Home
  2. Notícias

Por: Cláudio Dalla Benetta

Senador paraguaio que tentou corromper jornalista é cassado

Senador paraguaio que tentou corromper jornalista é cassado
Amarilla deixa o plenário. Não é mais senador. (Foto: ABC Color)

H2FOZ

O senador Dionisio Amarilla perdeu o mandato, na quinta-feira (7), por 31 votos a favor, nove contra, duas abstenções e duas ausências.

Amarilla foi acusado de tráfico de influências. Ele intermediou uma negociação entre a empresa que venceu uma concorrência suspeita para fornecer serviços de segurança ao Instituto de Previdência Social e um jornalista do ABC Color. A empresa é de Óscar Chamorro Lafarjas, filho do deputado Óscar Chamorro.

Pra se defender, Amarilla mostrou gravações de um programa televisivo apresentado pelo jornalista que o denunciou, além de um vídeo do Papa Francisco que falava sobre o trabalho do jornalista.

O senador apelou até para um vídeo do Papa, sem sucesso. Foto Última Hora

Quis, com isso, dar a entender que foi vítima de injúrias, difamação e publicações falsas. Não convenceu.

A sessão para destituir o mandato de Amarilla durou sete horas. Durante todo esse tempo, integrantes da Comissão Escrache, formada por cidadãos que não aguentam mais a corrupção no Paraguai, acompanhou tudo, sem sair do lugar.

E, quando saiu o resultado, a Comissão imediatamente informou que a luta agora será contra o presidente da Câmara de Deputados, Miguel Cuevas, denunciado por vários casos de corrupção.

Cuvas é investigado por enriquecimento ilícito e também por distribuir cargos públicos com polpudos salários a familiares e amigos.

Caso antigo

Quanto a Amarilla, a denúncia de suborno de um jornalista é apenas uma de uma longa lista. Ele é considerado o "precursor da corrupção' na Universidade Nacional de Assunção (UNA).

Em apenas oito anos como funcionário da UNA, ele ficou milionário. Antes de entrar na instituição, ele vendia leite em uma motocicleta, em sua cidade natal, Tebicuary.

Em 2007, já como funcionário, seu patrimônio era de 4 bilhões de guaranis (R$ 2,5 milhões). Em sua última declaração, de 2018, o patrimônio declarado subira para R$ 7,1 bilhões de guaranis (R$ 4,3 milhões).

Entre as firmas beneficiadas com contratos da UNA, a universidade mais importante do Paraguai, estão cinco empresas da família Chamorro.

Fontes: ABC Color e Última Hora

X