Pedágio: plano para concessão das rodovias no estado é aprovado pela ANTT

A nova concessão será pelo prazo de 30 anos - Foto: Marcos Labanca/Arquivo

Licitação, que ficou para o ano que vem, abrange 3,3 mil quilômetros de pistas; no fim do mês, praças de pedágio terão cancelas abertas.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou, nessa quinta-feira, 4, o Plano de Outorga e o relatório final da Audiência Pública nº 1/2021 da nova concessão das rodovias do Paraná, chamada de PR Vias. Agora será encaminhado esse plano, instruído por estudos de viabilidade técnica e econômica, ao Ministério da Infraestrutura (Minfra) e, em seguida, ao Tribunal de Contas da União (TCU).

Leia também:

Pedageiras atuais estão proibidas de participar de nova licitação no estado

Com os dias contados. Cancelas de pedágio serão abertas em 28 de novembro

São mais de 3,3 mil quilômetros de pistas, em seis lotes, com previsão de R$ 44 bilhões em investimentos, segundo o ministério. O projeto prevê 1,7 mil quilômetros de duplicação – o que inclui a BR-277, na Região Oeste, 600 quilômetros de faixas adicionais, terceira faixa e marginais, dez contornos urbanos e ampliação de capacidade em quatro serras, conforme descrição do Minfra.

“A futura concessão consiste na exploração por 30 anos, prorrogáveis por mais 5 anos”, informou a ANTT. As empresas ficarão responsáveis pela infraestrutura e da prestação do serviço público de recuperação, conservação, manutenção, operação, implantação de melhorias e ampliação de capacidade do Sistema Rodoviário de seis lotes das Rodovias Integradas do Paraná, com trechos federais e estaduais, segundo a agência.

Os atuais contratos com as empresas de pedágio vencem no final deste mês – quando, segundo o Governo do Paraná, as cancelas serão abertas e não haverá cobrança de pedágio (veja aqui). A gestão prevê assumir, em conjunto com órgãos do governo federal, os serviços de manutenção, ambulância e guincho destinados aos atendimentos a motoristas que trafegam pelas vias em todo o estado.

A nova concessão das rodovias estava prevista para acontecer em 2021. Com um movimento que ganhou corpo a partir do Oeste do Paraná, os setores ligados à produção, sociedade civil e forças políticas questionaram a modelagem inicial proposta, que previa o pagamento de outorga onerosa à empresa vencedora da licitação, o que foi visto como um impedimento à redução das tarifas de pedágio.

O modelo que vem sendo construído ainda desperta desconfiança em vários segmentos quanto à efetiva diminuição do preço praticado nas praças de pedágio, e pelo aumento de novos pontos de cobrança. Sustenta o Ministério da Infraestrutura que o leilão será por “menor valor tarifário, com diferentes níveis de aporte financeiro de acordo com o deságio ofertado durante a disputa”, sendo:

  • R$ 15 milhões por ponto porcentual até 10%;
  • R$ 60 milhões de 11% a 17%; e
  • R$ 150 milhões acima de 17%.

“O montante arrecadado ficará à disposição para futuros investimentos nas rodovias paranaenses ao longo dos 30 anos de contratos ou, até mesmo, para reduções tarifárias”, informou o Minfra. “Vamos transformar a logística de transportes do estado do Paraná com investimentos robustos em um ciclo único, concentrado entre os terceiro e oitavo anos das concessões”, declarou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

Como serão divididos os lotes da nova concessão – Foto: Reprodução

Ainda que se busque, em diferentes frentes, a diversificação dos modais, o transporte rodoviário é elemento decisivo para o desenvolvimento do Paraná, sendo o responsável por cerca de 86% da matriz de transporte. As vias são as conexões para a chegada de turistas e ligam o estado ao Porto de Paranaguá, importante canal de exportação da América do Sul, à capital (Curitiba) e ao complexo industrial em torno dela.

As rodovias no estado interligam o país com as fronteiras internacionais por Foz do Iguaçu, com a Argentina, pela Ponte Tancredo Neves, e com o Paraguai, via Ponte da Amizade – e, a partir do ano que vem, pela Ponte da Integração. A região fronteiriça abriga as Cataratas do Iguaçu, destino turístico internacional, e o maior porto seco da América Latina em volume de cargas.

Tarifa nas praças de pedágio

O Governo do Paraná afirma que a nova concessão irá assegurar menor tarifa, sem limite de desconto e com a garantia de obras com o que está sendo chamado de “seguro-usuário”. Esse fator será proporcional ao desconto tarifário apresentado no leilão. “Com isso, o preço do pedágio poderá ser em média 50% mais baixo que o atual”, diz a administração estadual.

O Ministério da Infraestrutura relata que o projeto do governo federal prevê descontos que chegam a mais de 60% em relação aos valores cobrados atualmente. “Além disso, o motorista que utiliza o sistema eletrônico por pagamento terá um desconto adicional de 5%, e aquele que trafega pelo mesmo trecho diariamente contará com uma redução progressiva ao longo do mês”, garante o órgão.

Modelagem

O modelo proposto para a nova concessão das rodovias foi elaborado em conjunto pelo Governo do Estado e pelo governo federal, por meio do Ministério da Infraestrutura. O projeto foi feito pela Empresa de Planejamento e Logística (EPL) e é considerado pelo poder público o maior pacote de concessões rodoviárias já estruturado no Brasil.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Paulo Bogler - H2FOZ tem 1465 posts e contando. Ver todos os posts de Paulo Bogler - H2FOZ

error: O conteúdo protegido !!! Este conteúdo e de exclusividade do H2FOZ.