Olé! Professora dá aulas e promove a cultura flamenca em Foz

A professora Ana Galeano em entrevista ao programa Marco Zero - Foto: Marcelo Oliveira
Siga a gente no

Ana Galeano está com turmas abertas para aulas semanais. Assita à entrevista, leia o texto.

O canto e a dança flamencos são tão encantadores quanto a sua história. Ainda hoje, não é possível afirmar categoricamente como essa cultura e vivência surgiram. O que se toma por certo é que, tal como a conhecemos, a expressão flamenca remonta ao século 17, na região autônoma da Andaluzia, e é uma arte arrebatadora.

É o que aconteceu com a iguaçuense Ana Galeano, que foi tomada por essa paixão ainda na infância, mas não teve oportunidade para praticá-la. Foi para o teatro e para os palcos, formou-se em História e tornou-se servidora pública. E o flamenco seguiu pulsando, até que pôde fazer aulas e tornar-se professora dessa dança em Foz do Iguaçu.

O Marco Zero é um programa conjunto produzido pelo H2FOZ e Rádio Clube FM. Entrevista, opinião, enquete, entretenimento, esporte, cultura e agenda. Todo sábado, das 10h às 12h. Participe do grupo no Whatsapp para receber as novidades. Clique aqui.

“Vi uma foto de uma bailarina flamenca que me impactou. Senti um arrepio, fiquei encantada”, conta Ana Galeano, em entrevista no programa Marco Zero. A partir daí, começou a ouvir a música, conhecer a história e, somente anos mais tarde, conseguiu fazer aulas e integrar grupos flamencos na região.

Assista à entrevista:

“O flamenco é um amor que arrebata”, assevera. A professora relembra que a cultura é originária dos povos ciganos, das regiões pobres e da tradição oral, muito voltada para os sentimentos, como a dor, os sofrimentos, a vivência do povo. Recebeu a mistura das tradições de povos árabes, mouros e judeus. E difundiu-se pelo mundo.

Pela arte

No percurso em busca do flamenco, diz Ana Galeano, ia a Londrina, no Norte do Paraná, uma vez por mês para fazer aulas, em meados de 2013. Depois, estudou com a professora Carmem Salinas, em Ciudad del Este. “Então as coisas começaram a andar um pouco. Formamos um grupo em Foz do Iguaçu, que eu coordenava, e a professora vinha de Assunção para acompanhar”, resgata.

Esse movimento para consolidar o flamenco na fronteira a levou ao estúdio da renomada dançarina e professora Rosa Flamenco, que oferece um curso profissional com duração de nove anos. “Decidi estudar para ser professora e difundir o flamenco em Foz do Iguaçu e região”, revela a artista iguaçuense.

Hoje, Ana Galeano é a única franqueada no Paraná da escola da professora Rosa Flamenco. Essa chancela é significativa, já que Rosa, que é de Barcelona, possui uma carreira internacional e hoje vive no Brasil, “é uma referência em flamenco. Uma vez por ano vou para a Bahia, onde ela mantém o estúdio, para fazer a qualificação de nível”, relata.

Aulas em Foz

As aulas de flamenco ministradas por Ana Galeano são às sextas-feiras e sábados, para pessoas a partir de 10 anos, sem limite de idade. “Qualquer corpo pode dançar flamenco”, sublinha a professora. Quem quiser conhecer mais pode fazer uma aula experimental, sem compromisso.

Informações: @flamenco.ana.galeano (Instagram) e (45) 99821-4565 (WhatsApp).

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

-->