H2FOZ | Notícias | Foz do Iguaçu
  1. Home
  2. Notícias

Por: Paulo Bogler - H2FOZ

Entre as estaiadas, Ponte da Integração será a de maior vão-livre do Brasil, diz engenheiro da obra

Entre as estaiadas, Ponte da Integração será a de maior vão-livre do Brasil, diz engenheiro da obra
Ponte internacional terá 760 metros de extensão (Foto: Reprodução/Itaipu Binacional )

A segunda ponte internacional entre o Brasil e o Paraguai começa a sair do papel. Os primeiros trabalhos à margem esquerda do Rio Paraná iniciaram com o serviço de terraplanagem, vencendo assim a descrença da população causada por prazos e promessas não efetivados – há documento de 1992 em que é firmado compromisso para a obra.

Se tudo ocorrer conforme o cronograma, em agosto de 2022 Foz do Iguaçu estará conectada a Puerto Franco por uma ponte estaiada. Esse prazo poderá até ser antecipado, afirmou Osman Bove, engenheiro da obra. Ele participou do Marco Zero, programa em parceria entre o H2FOZ e a Rádio Clube FM, e deu detalhes do empreendimento, como será o andamento do trabalho e a contratação de trabalhadores.

Assista à entrevista:


Osman é gerente de contrato do Consórcio Construbase-Cidade-Paulitec, responsável pela construção, que terá investimento total de R$ 463 milhões, sendo R$ 323 milhões para a ponte e R$ 140 milhões para a Perimetral Leste (a ser executada por outra construtora). Os recursos são da Itaipu Binacional, e o gerenciamento da execução é do Governo do Paraná.

De acordo com o engenheiro, o aporte financeiro assegurado permitirá terminar a obra dentro dos 36 meses previstos. “Com a garantia financeira, através do recurso da Itaipu, temos a tranquilidade para desenvolver o serviço de maneira contínua e sem maiores problemas”, apontou.

Engenheiro Osman Bove disse construção será um projeto "desafiador" - foto Carlos Sossa

O responsável do consórcio que reúne três empresas para construir a Ponte da Integração afirma que é uma obra complexa. São 760 metros de extensão, 470 metros de vão central e mastros com aproximadamente 190 metros de altura. Envolve serviços em grandes alturas e recursos tecnológicos, e exigirá explosões de rochas para a construção de diques de contenção da água do rio.

Em oito meses, disse Osman Bove, deverá ser envolvida a totalidade dos trabalhadores prevista para a obra: 400 profissionais de diferentes áreas. Ele informou que o consórcio recebeu 11 mil currículos, que estão passando por triagem, e ainda recebe no escritório provisório na Avenida Morenitas, no Porto Meira.

Experiente, com atuação em grandes obras pelo Brasil, o engenheiro ressaltou que a construção da Ponte da Integração será um desafio pela sua magnitude. “Com 470 metros, a obra terá o maior vão-livre entre as pontes estaiadas do Brasil. É desafio técnico, um desafio gostoso de ser enfrentado”, ponderou Osman Bove.