Uma campanha eleitoral bem diferente

Prof. José Afonso de Oliveira  | OPINIÃO

Já estamos bem próximos das eleições municipais. Desta vez, em plena pandemia de covid-19, tudo está bem diferente. Toda a propaganda eleitoral está bastante restrita, pouca coisa pode ser realizada e, tendo tantos candidatos a prefeito e a vereador, vai existir uma pulverização de votos, de sorte que os eleitos o serão por poucos votos.

Também é bem possível que o nível de abstenções, isto é, eleitores simplesmente não comparecerem para votar, seja elevado, independentemente da razão. Confinados ainda em suas próprias residências, com certeza isso deve pesar para as abstenções no dia das eleições.

De qualquer maneira é muito bom destacar que as eleições municipais são muito importantes, afinal estamos elegendo as autoridades locais, mais próximas de todos nós. Serão essas mesmas autoridades as maiores responsáveis pelo atendimento de todas as nossas demandas, em todos os sentidos.

Isso quer dizer que teremos sim de votar, e muito bem, por conta disso procurando ter critérios que possam estar baseados na vida pregressa dos candidatos, verificando o que eles fizeram de bem para a sociedade, o que pensam sobre determinadas situações, como se comportam socialmente, enfim, que possam efetivamente, de posse do poder, trabalhar para o bem de todos os cidadãos, não para alguns grupos ou pessoas isoladas.

Pensar que temos muitos problemas sérios, de uma forma muito especial, pois foram dimensionados de uma grande maneira em razão da pandemia, durante todo este ano. Penso que a necessidade de atendimento de questões como desemprego e miserabilidade deva ser prioritária, afinal se trata de atender pessoas carentes, que necessitam de apoio, e o melhor a ser feito é procurar opções de geração de empregos imediatos, com salários condizentes para o sustento das famílias.

Mas a educação e a saúde devem também ser bem lembradas, pois são estruturas fundamentais de qualquer sociedade. Devem não só serem mantidas, senão expandidas de acordo com o crescimento populacional e as respectivas necessidades.

Todos nós queremos uma cidade muito melhor para bem vivermos – e, para isso, as eleições são mesmo fundamentais e devem ter a nossa total adesão, votando no dia estabelecido, 15 de novembro, para depois não nos arrependermos.

* José Afonso de Oliveira é professor e sociólogo em Foz do Iguaçu.
________________________________

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do H2FOZ.

Quer divulgar a sua opinião. Envie o seu artigo para o e-mail [email protected]

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.